Cansaço

Não quero dar uma coitado
nem quero a sua dó.
Não tenha dó de mim!
Não suporto a dó!
Já vi tantos e tais sofrimentos que
minha mente não consegue sentir dó
de ninguém, por quase nada.
É preciso uma atrocidade
para que eu seja tocado.
Até comigo mesmo: acho pouca toda a minha desgraça!
É preciso uma atrocidade.

 

Sou duro assim por questão de defesa.
Nunca tive amor.
Então minha cabeça, minha personalidade,
meus sentimentos, e o resto de vida que ainda existe em mim, tudo
tudo isso enrijeceu formando uma carapaça, um escudo
para enfrentar a falta daquele sentimento arrebatador
que é o alimento para se seguir:
o Amor, nem precisava repetir.

 

Parece que nada foi feito para mim
Parece que ninguém existe por mim
Nada, Ninguém
E eu…
Eu estou acabado, começando a degradar e
com uma vontade enorme de desistir de mim mesmo.
Veja! Essa ideia me
parece muito atraente
parece uma coisa certa a se fazer
parece que será bom se eu o fizer
E farei.
Neste minuto, estou desistindo
de mim
do que quero
do que ia fazer por dever
do que ia fazer por prazer

 

nada mais me interessa, nada
é assim que eu me quero, sem ninguém, sem nada
não me interessa nada, só o Nada.
E se há pouco eu queria me livrar de tudo, já não quero mais,
pois não quero nada.

 

Ah, o silêncio…
O silêncio lá fora…
O silêncio aqui dentro… na minha cabeça…
completamente limpa, livre dos pensamentos…
Que leveza
Que alívio